Voando Baixo, com Marco ASA – Vol. 12

longeProtestos 1 – Bom dia, queridas e queridos leitores. Sobre os protestos da última sexta, caiu por terra o argumento de alguns de que foi “arruaça de um monte de vagabundos”. Foi um grito para tentar deter uma escalada escravagista, que quer derrubar os direitos dos trabalhadores. Aliás, queridos micro e pequenos empresários: vocês têm que defender o direitos dos trabalhadores de forma ferrenha. Vocês dependem de seus salários e aposentadorias para viver. Cidades como Campo Grande (MS), por exemplo, tem como base da economia o salário de trabalhadores, sejam dos setores público ou privado. Num passado recente, quando alguns governos estaduais e municipais atrasavam os salários, vocês (empresários) se lembram do “perrengue” que passaram? Então: acordem pra vida e lutem contra as reformas escravagistas.

Protestos 2 – Ouvi um defensor do atual (des) governo e do PSDB dizer: “Na França os protestos são ao som de violino. Aqui é arruaça”. Ontem, os franceses “saíram no pau” com a política local, quebraram tudo. Dá uma raiva de trouxas que defendem os estrangeiros e “detonam” os brasileiros. Andam de ônibus e metros em Nova Iorque e Paris e aqui querem acabar com faixas exclusivas pra ônibus. Hipocrisia fede!

Desumanos 1 – No último final de semana, invadiram uma aldeia de índios no Maranhão, massacraram famílias e mataram um deles com requintes de crueldade, cortando as mãos de um índio ainda vivo. Há algumas semanas, invadiram um assentamento em Colniza (MT), matando pessoas enquanto estavam dormindo. Essas são algumas das provas de que o golpe político serviu também para apoias os grileiros de terras. Acha que o Ministério da Justiça fará algo? Nunquinha.

Desumanos 2 – Em São Paulo, capital, temos visto cenas cruéis: moradores de rua estão sendo desalojados, até com a retirada de seus cobertores, em noites de frio de 12 graus. Você nota o caráter de um governante quando ele desaloja ao invés de acolher. Aliás, caráter é artigo raro hoje em dia.

Cidade gourmet – Aliás, os moradores de São Paulo são uma contradição ambulante. Querem uma cidade “gourmet”, chique e “linda”, mas acham normal seus rios continuarem podres. Bilhões e bilhões de dólares consumidos durante décadas de governos tucanos e os rios Tietê e Pinheiros (e seus afluentes) são apenas esgoto a céu aberto. Podem pintar a cidade de ouro, mas vai continuar cheirando cocô. Aliás, por que ninguém cobra o PSDB de nada? Impressionante!!!

Cidades gourmet 2 – Os moradores de Campo Grande e Cuiabá também estão sofrendo com essa pasmaceira. Prefeitos que entraram “com tudo”, cheios de assessores de marketing e mídias sociais, mas, de prático, muita falação e pouca ação. Aliás, têm o mesmo discurso nojento do (des) governo federal: a “herança maldita” dos governos passados.

Marketing digital – É nojenta a nova dependência dos políticos das mídias sociais. Postam fotos até “peidando”. O pior é que os coordenadores de mídias digitais (com raras exceções) são tão profundos quanto o programa das Kardashian (acho que é assim que se escreve). É uma sucessão de futilidades que dá nojo. Mas, para não dizer que só falo mal, o pessoas das mídias sociais do governo do Estado de Mato Grosso (que é do PSDB) faz seu trabalho certinho. Olha eu elogiando uma ação de um governo tucano. Só pra vocês verem que não sou (totalmente) político. HeheheJ

Marco ASA é jornalista, publicitário e escritor. Contatos pelo e-mail portalautoasa@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s