Saturno e Júpiter podem ter ‘chuva de diamante’

Imagem
Segundo cientistas, raios poderiam transformar carbono em diamante nesses planetas

(BBC) – Diamantes – tão grandes que poderiam ser usados por estrelas de Hollywood – podem estar caindo do céu em Saturno e em Júpiter.

Essa é a conclusão de dois cientistas americanos, que apresentaram sua pesquisa no encontro anual da divisão de Ciências Planetárias da Sociedade Americana de Astronomia, que aconteceu em Denver, nos Estados Unidos.

Novos dados indicam que o carbono em sua forma cristalizada é abundante na atmosfera desses planetas, segundo Kevin Baines, da Universidade de Winsconsin-Madison e do Laboratório de Propulsão da Nasa. A co-autora da pesquisa é Mona Delitsky, do instituto California Speciality Engineering.

A tese de Baines e Mona afirma que poderosos raios transformam o metano em partículas de carbono. À medida que vai caindo, esse carbono entra em choque com a pressão atmosférica desses planetas, e se transformam primeiro em pedaços de grafite e, em seguida, em diamantes.

Dependendo das condições, esses “granizos” de diamante podem inclusive derreter.

Anel de diamante

Os maiores diamantes provavelmente seriam de um centímetro de diâmetro, de acordo Baines. “Seria um diamante grande o suficiente pra colocar em um anel”, disse, acrescentando que seria algo que a atriz Elizabeth Taylor ficaria “orgulhosa em usar”.

“O importante é que mil toneladas de diamantes são produzidos por ano em Saturno. E as pessoas me perguntam: ‘como você pode ter certaza se não tem como ir para lá?’ Bem, tudo é uma questão química. E acreditamos que estamos bastante certos”

Os cientistas analisaram as últimas temperaturas e pré-condições de pressão no interior dos planetas, além de novos dados sobre como o carbono se comporta em diferentes condições.

A descoberta dos cientistas americanos ainda precisam ser avaliadas por outros acadêmicos, mas especialistas consultados pela BBC disseram que a possibilidade de uma chuva de diamantes “não pode ser desconsiderada”.

“Parece válida a ideia de que há uma profunda variação dentro das atmosferas de Júpiter e ainda mais de Saturno, nas quais o carbono poderia se estabilizar como diamante”, disse o professor Raymond Jeanloz, um dos responsáveis pela descoberta de que havia diamantes em Urânio e Netuno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s