Rodovia Bonito-Bodoquena deve atrair mais turistas com vendas de roteiros integrados com o Pantanal

Imagem
Belezas e Bonito (foto: Edemir Rodrigues)

Campo Grande (MS)/Secom – Considerada como uma das importantes rotas turísticas de Mato Grosso do Sul, a MS-178, que liga agora por asfalto os municípios de Bodoquena e Bonito, deve atrair mais turistas não só para a região da Serra da Bodoquena, mas para o Pantanal. São pelo menos 69,5 quilômetros de rodovia pavimentada onde o tráfego de veículos era até então feito pela estrada de chão, num trajeto demorado.

A obra executada pelo governo do Estado, com montante principal de recursos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) – do Ministério do Turismo – e contrapartida estadual vai encurtar caminhos e estimular a vinda de mais visitantes. “É a realização de um grande sonho de toda a região porque definitivamente estamos ligando Bonito que é um dos nossos carros chefes do turismo do Estado ao Pantanal. Essa rodovia vai funcionar em prol do desenvolvimento de Mato Grosso do Sul e consequentemente do turismo do Estado”, afirma a diretora-presidente da Fundação de Turismo (Fundtur), Nilde Brun.

Conforme Nilde Brun, a ligação dos dois municípios turísticos permite fazer um roteiro integrado que vai da Serra da Bodoquena até o Pantanal. Antes da chegada do asfalto, o turista tinha dificuldades de percorrer este trecho. “Em época de chuvas a gente tinha essa dificuldade com muitos atoleiros. As pessoas demoravam muito numa estrada de chão em que você precisa ter um cuidado redobrado. Muitos terminavam nem fazendo o trajeto em função da distância e demora”, recorda.

Passado: Na saída de Bonito-Bodoquena, trecho inicial da rodovia, em imagem de 2009

 A diretora-presidente da Fundtur explica ainda que atualmente já é vendido no mercado nacional e internacional a rota integrada Bonito-Pantanal. O asfalto na rodovia vai facilitar a venda dos roteiros. “Com a finalização da rodovia vamos colocar estas rotas com toda a força no mercado e aí vender essas duas belezas ímpares do turismo brasileiro”, reforça.  Com roteiros integrados, o turista, como explica Nilde Brun, vai permanecer mais tempo em Mato Grosso do Sul. A grande reclamação antes era que o turista ia para Bonito, mas não conhecia o Pantanal ou vice-versa. “Com essa rodovia eliminamos essa dificuldade e vamos trabalhar inclusive a questão do preço porque a questão da rodovia aumentava o custo do pacote ao turista em função da distância e desgaste do veículo. Agora podemos colocar pacotes mais em conta”, finaliza.  

 Entrada para o Pantanal – De acordo com o presidente do Bonito Convention & Visitors Bureau, Rodrigo Coinete, a pavimentação da rodovia MS-178 vai interligar a cidade de Bonito à região sul do Pantanal. “Essa rodovia é sensacional para o turismo. Em uma hora e meia você já está em Miranda, no Pantanal Sul. Essa estrada asfaltada vai fazer uma interligação rápida aos principais destinos turísticos e tornando essa região mais atrativa”, comenta.

Para Rodrigo Coinete a chegada do asfalto dará ao turista a possibilidade de chegar ao Pantanal também pelo município de Bonito, já que o acesso é feito pela cidade de Campo Grande. “Agora teremos mais uma opção de chegada do turista. Bonito poderá ser a porta de entrada para o Pantanal”, destaca.

 Além do acesso ao Pantanal, a rodovia pavimentada também deve desenvolver a região entre Bonito e Bodoquena. No local, como explica Rodrigo Coinete, existem poucas pousadas já que antes o acesso dos turistas era muito complicado. “Agora teremos a atração de novos investimentos para a região e com certeza com maior fluxo de turistas”, avalia Coinete.

Acesso – O anúncio do governador André Puccinelli do início da operação de um voo direto da empresa aérea Azul entre o Estado de São Paulo e a cidade de Bonitotambém animou o presidente do Bonito Convention & Visitors Bureau. A linha que liga o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, à cidade turística entra em operação no dia 24 de março.

“Este voo vai auxiliar na captação de eventos técnicos científicos nacionais e internacionais e o participante precisa de fácil acesso”, comenta Rodrigo Coinete. O voo sem escalas é uma antiga reivindicação do trade turístico e dos próprios visitantes, pela facilidade que gera aos passageiros, que não precisarão fazer escalas na Capital.

No mês de março, por exemplo, Rodrigo Coinete e a presidente da Fundtur, Nilde Brun viajam para Berlim, na Alemanha para participar da Conferência Internacional de Ecoturismo, considerado o mais importante evento do segmento no mundo. “Sem esse voo não teríamos condições de nos candidatar como cidade sede do evento. Estamos disputando com a Índia”, adianta. A escolha do país para sediar a próxima conferência será conhecida no mês de abril deste ano. 

Imagem
Corumbá: Nova pavimentação pemite roteiro integrado e abre novo acesso para visitantes ao Pantanal (foto: Edemir Rodrigues)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s