Fórum Econômico Mundial avisa: preparem-se para o contato extraterrestre

Imagem
Eram os deuses astronautas? (Arte: Revista Ufo)

Um assunto geralmente confinado a grupos de curiosos e cercado de ceticismo ganhou vitrina de alta exposição e público de enorme influência: a vida extraterrestre. Um relatório divulgado na manhã desta quarta-feira pela organização do Fórum Econômico Mundial, que se realizada de 23 a 27 de janeiro em Davos, na Suíça, coloca em discussão o que chama de “Fatores X” — riscos que podem surpreender, até por passar ao largo das preocupações mais comuns. Muitos desses aspectos, conforme o texto do editor-chefe da revista científica Nature, Tim Appenzeller, colaborador do fórum na análise dos riscos globais de 2013, são consequências dos desafios científicos e tecnológicos.

Depois de se referir a riscos que estão mais ou menos mapeados nas projeções econômicas, como mudança climática fora de controle e custos da longevidade, Appenzeller aponta o tema que deve provocar arrepios entre os participantes do fórum — e não por conta do frio que faz nesta época na estação suíça de esqui de Davos: a descoberta de vida extraterrestre. Conforme o autor, considerado o ritmo da exploração espacial, seria “crescemente concebível” a decoberta de vida alienígena ou outros planetas que permitam a vida humana.

Depois de lembrar que apenas em 1995 — há menos de 20 anos — foram descobertas as primeiras evidências de outras estrelas com planetas em sua órbita, Appenzeller afirma que milhares de “explanets” orbitando em torno de estrelas distantes foram detectados. A missão Kepler da Nasa, a agência espacial norte-americana, localizou a chamada “zona Goldilocks” — nem tão quente, nem tão fria — com estrelas semelhantes ao Sol depois de apenas três anos de operações, pondera o autor. Esses milhares de planetas, afirma, seriam candidatos a ter vida ou até a ser uma opção para os humanos fora da Terra. “Num prazo de 10 anos, nós podemos ter evidências não apenas de que a Terra não é única mas que a vida existe em outros locais do Universo”.

Caso os astrônomos que estudam os exoplanetas descubram sinais químicos da existência de vida — como a presença de oxigênio —, recursos começariam a migrar para novos telescópios que estudem em detalhe esses novos mundos, sustenta o analista. Novos sistemas de financiamento e novos esforços intelectuais podem ser atraídos para os desafios de voos espaciais tripulados e de tecnologias necessárias para a humanidade, para permitir a sobrevivência na viagem interestelar.

Para quem duvida da autenticidade do estudo, o trabalho pode ser conferido no site do Fórum Econômico Mundial.

Fonte/;. ZERO HORA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s